Hyakunin Isshu

Hyakunin Isshu (百人一首) quer dizer, literalmente, “cem pessoas, um poema (cada)”. Há um certo número de antologias poéticas na literatura japonesa conhecidas como Hyakunin Isshu, todas elas coletando cem poemas, mas a mais famosa é a Ogura Hyakunin Isshu (小倉百人一首), compilada por Fujiwara no Teika (também conhecido como Fujiwara no Sadaie) por volta do ano 1235. Esses são os poemas usados nas partidas de karuta.

Teika

Fujiwara no Teika (藤原定家, 1162-1241)

Fujiwara no Teika foi um intelectual (poeta, calígrafo, novelista, escrivão…) de família influente na época, e foi contatado por um nobre para escolher cem poemas clássicos que pudessem enfeitar as paredes de sua residência próxima à montanha Ogura, em Kyoto (hoje em dia, esse local é conhecido como Arashiyama). Ele compilou as que julgou mais relevantes, tentando levar em consideração todos os principais poetas da época, e confeccionou as folhas em caligrafia tradicional.

Ilustração mostrando o cotidiano de uma família aristocrata no período Heian.

Ilustração mostrando o cotidiano de uma família aristocrata no Período Heian.

Os cem poemas escolhidos por Fujiwara no Teika foram escritos no Período Heian (平安時代), que durou do ano 794 ao ano 1185 (ou 1192). É considerado o último período da “história clássica” do Japão e foi marcado pelo ápice da corte imperial, com grande desenvolvimento da arte, poesia e literatura. Muitos aristocratas passavam o tempo escrevendo poesias, que falavam sobre o amor, as estações do ano, a sociedade, etc. Cartas de amor eram escritas em forma de poema, e havia até competições na qual se dava um tema e escolhia-se o melhor. Há poemas no Hyakunin Isshu escritos por membros da corte (inclusive mulheres), por monges, e um escrito pelo próprio Teika.

Divisão dos 100 poemas do Hyakunin Isshu. A grande maioria é sobre o amor.

Divisão dos 100 poemas do Hyakunin Isshu. A grande maioria é sobre o amor.

Todos os poemas são tanka (短歌, literalmente “poema curto”), a forma de waka (和歌, poesia clássica japonesa) que foi mais escrita em toda a história. Esse tipo de poema tem sempre 31 sílabas, divididas em 5 versos, nesta ordem: 5-7-5-7-7. Observe um exemplo:

(5) きみがため (ki-mi-ga-ta-me)
(7) をしからざりし (o-shi-ka-ra-za-ri-shi)
(5) いのちさへ (i-no-chi-sa-e)
(7) ながくもがなと (na-ga-ku-mo-ga-na-to)
(7) おもひけるかな (o-mo-i-ke-ru-ka-na)

Os três primeiros versos são conhecidos como kaminoku (上の句, primeira parte) e os dois últimos como shimonoku (下の句, segunda parte). No jogo de karuta, as cartas de leitura (yomifuda) contém o poema inteiro, enquanto as cartas de pegar (torifuda) contém apenas a segunda parte do poema.

O Hyakunin Isshu é considerado uma obra muito importante para a literatura japonesa, é ensinado às crianças desde pequenas nas escolas, e é difícil encontrar pessoas no Japão que não tenham alguns dos poemas de cor, ou que pelo menos não se lembrem vagamente de ter ouvido falar neles alguma vez. O jogo de karuta com o baralho do Hyakunin Isshu é tradicionalmente jogado em família no período das festas de ano novo.

Para saber um pouco mais sobre tudo isso, você pode conferir o vídeo do Begin Japanology sobre o que é karuta. 🙂

Um comentário sobre “Hyakunin Isshu

  1. Pingback: O que é Karuta? | Meguriai Kai

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s